Por-que-os-olhos-ficam-vermelhos-ao-nadar-na-piscina-COBOP-piscinas-min

Quem não gosta de passar várias horas curtindo e se refrescando nas águas de uma piscina?! Na verdade, isso é o sonho de muita gente, principalmente nos dias quentes de verão.

Um problema que muitas pessoas têm após o nadar na piscina são os olhos avermelhados e irritados.

Em geral, as pessoas culpam como “vilão da história” o cloro. Porém pesquisas feitas nos EUA nos mostram que esse problema é causado por outro motivo.

Continue mais 2 minutinhos conosco que nós te contamos que problema é esse! 😊

 

Você faz xixi na piscina? Nunca mais faça isso!

De acordo com o US’s Healthy Swimming Program, os cientistas americanos descobriram que
a urina deixada na água pelos banhistas reage com o cloro e gera um composto químico capaz de causar irritação instantaneamente nos olhos.

Esse composto químico também pode formar gases venenosos que trazem sérios efeitos negativos ao coração, aos pulmões e ao sistema nervoso.

 

O “cheiro” te lembra cloro? Mas não é cloro!

Um dos membros do US’s Healthy Swimming Program, Chris Wiant, afirmou que o odor, na realidade, é produzido das substâncias químicas geradas pela reação da urina, suor e outras secreções corporais dos banhistas em águas com baixos níveis de cloro livre.

 

Urina reduz o efeito do cloro nas piscinas

Outra coisa que os pesquisadores também descobriram, é que a existência da urina na água reduz o efeito do cloro, deixando os banhistas mais vulneráveis a doenças de peles causados por fungos e bactérias, que podem viver por dias em sua piscina.

 

Cuidados a serem tomados!

Especialistas alertam para três passos importantes:

  1. Verificar se os produtos específicos estão sendo aplicados na piscina;
  2. Tomar uma ducha antes de entrar na piscina; e
  3. Nunca fazer necessidades fisiológicas (cocô, xixi, etc) dentro da piscina.

 

Como resolver e prevenir esse problema?

O cloro é um dos produtos mais aconselhados para preservar a qualidade da água e sua cristalinidade, ou seja, evitando a proliferação de fungos e bactérias que podem causar danos a saúde das pessoas.

Para que haja sucesso no manuseio do cloro não há nenhum segredo. É só seguir as instruções do fabricante, aplicando da forma correta, na quantidade correta e a periodicidade correta. Tudo está no rótulo do produto, mas se mesmo assim tiver dúvida entre em contato conosco. Nós da Cobop teremos o maior prazer em atendê-lo.

 

Como medir a água para aplicação do cloro?

De forma resumida podemos analisar 3 passos:

  • Passo 1 – A primeira ação, antes da aplicação do produto, é calcular o volume de água que tem a piscina. Assim, fica mais fácil determinar a quantidade exata de produto, levando em consideração os parâmetros de alcalinidade e pH da água nos níveis ideais.

 

  • Passo 2 – Após o passo 1, agora é necessário avaliar se os parâmetros da água (medidos em pH) estão entre 7,0 e 7,4, com alcalinidade entre 80 e 120ppm. Para facilitar a medição, utilize “Fita Teste”, que também auxilia na avaliação da concentração de cloro livre na água antes de realizar de fato o tratamento.

 

  • Passo 3 – E para finalizar, adicione o cloro aditivado. Esse processo elimina os germes causadores de candidíase e frieiras, previne a água verde através da eliminação de micropartículas na filtração, além de clarificar a água da piscina.

 

Dúvidas? Deixe o seu comentário abaixo ou entre em contato conosco através dos contatos no rodapé do site.

 

Gostou das dicas?

Compartilhe esse artigo com seus amigos, sua família seus e seus conhecidos. E continue também nos acompanhando aqui no blog, no Facebook, Instagram e Google+ todas as novidades e dicas sobre cuidados com piscinas!

Gostou Deste Post? Compartilhe Com Seus Amigos!
0

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *